Maior fundo de investimentos do mundo agora possui bitcoins

O maior fundo de investimentos do mundo, o Fundo de Pensão do Governo Norueguês, também conhecido como “fundo do petróleo”, informou que detém a posse indireta de 577 BTC na sua carteira de investimento. A informação foi publicada pela empresa de análise de dados em blockchain, Arcane Research.

Essa aquisição indireta de bitcoins por parte do fundo Norueguês ocorreu por meio da participação nas ações da empresa MicroStrategy. O fundo adquiriu 1,51% da empresa em dezembro de 2019.

A empresa MicroStrategy adquiriu mais de 38 mil bitcoins no ano de 2020. Em comunicado a companhia informou:

“Este investimento reflete nossa crença de que o Bitcoin, como a criptomoeda mais amplamente adotada no mundo, é uma reserva confiável de valor e um ativo de investimento atraente com maior potencial de valorização a longo prazo do que manter-se em dinheiro.”

 

O ano de 2020 parece estar marcando o início da entrada dos investidores tradicionais no mercado das criptomoedas. Essa tendência pode estar intimamente ligada ao comportamento do Bitcoin na turbulência econômica enfrentada pelos mercados ao decorrer do ano.

 

Em março, um forte aperto de liquidez inundou os mercados, por conta disso, grande parte dos ativos caíram significativamente de valor. Somando-se a esse fator, o medo e insegurança causados pela pandemia agravaram a situação. Desde o mercado de ações até os investimentos em ouro tiveram quedas expressivas.

O Bitcoin, por ser um mercado relativamente pequeno se comparado ao ouro e as ações, sofreu queda de mais de 40%. Contudo, a recuperação do Bitcoin foi de longe a mais rápida dentre todos os mercados. Isso demonstrou a força e interesse na entrada de novos investidores.

As ações da empresa MicroStrategy subiram após os anúncios da compra. Essa modalidade de investimento em Bitcoin pode ser uma ótima maneira para a entrada de investidores institucionais no mercado.

Títulos de empresas de capital aberto representam uma fatia considerável do mercado financeiro global. Uma pequena entrada de grandes companhias tradicionais poderia significar um aumento expressivo no valor de mercado do bitcoin.

 

Fonte: cointimes.com.br

Open chat
Precisa de Ajuda?

Prezados representantes e clientes:

A Celvirtual (Ocel) iniciou as suas atividades em 2019, tendo sempre priorizado as boas práticas de mercado e buscando os melhores resultados para os clientes e colaboradores. Para tanto, nossa área de Compliance, assegura o correto funcionamento e comportamento de nosso ecossistema dentro de normas previstas na lei portuguesa e europeia, incluindo, além da segurança da informação, “conduta e ética”, “riscos corporativos” e “controles internos”.

Nosso processo de Compliance integra as medidas de AML e KYC, onde os mesmos processos são aplicados aos fornecedores, parceiros de negócios e funcionários. Implantamos políticas rígidas e mantemos comitês especializados nos temas voltados à Conduta, Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Segurança da Informação e Proteção de Dados.

Para nossas operações utilizamos a maior corretora do mundo, Binance, com envio de toda documentação (traduzida e certificada) exigida para verificação corporativa das contas. No entanto, após aguardar um longo período, novas exigências foram surgindo e sendo cumpridas a rigor. Ainda assim, sobreveio o injustificado bloqueio de saques dos ativos, sob a argumentação de proteger os mesmos, tendo a equipe de segurança da Binance desabilitado todas as funções das contas.
Ato contínuo, a Celvirtual recebeu algumas ameaças de ataques hackers, motivo pelo qual realizou Denúncia perante as autoridades competentes, precipuamente a Polícia Judiciária de Portugal. Há uma investigação em andamento, sendo que todo procedimento será acompanhado diariamente pela empresa, que será participativa e colaborativa para a elucidação e solução.

Sendo assim, a partir de 01/07/2021 todas as solicitações de saques e envios estarão suspensas temporariamente, assim como a rentabilidade dos contratos e comissão de representantes, não por culpa da Celvirtual, mas por motivo de caso fortuito (externo) e/ou força maior. Seja pela impossibilidade de realizar operações, seja pela orientação da Polícia Judiciária de Portugal, ambos imprevisíveis com efeitos inevitáveis.

Todas as providências cabíveis já estão sendo tomadas, especialmente em relação à investigação e responsabilização dos culpados, com o intuito de restabelecer a normalidade o mais rápido possível.

A Celvirtual reafirma seu compromisso com todos os representantes e clientes, contando com a compreensão de todos para superar esse período de dificuldade causada por ato de terceiros. Esclarecemos que a empresa não encerrou suas atividades e mantém a Sede em funcionamento, com trabalho incessante para resolução do problema o mais breve possível.

Cordialmente,
Celvirtual.
Lisboa PT, em trinta de junho de dois mil e vinte e um.